Vida saudável: por que mudamos de uma megalópole para um barco

por Tatiana Zanardi
8 Comentários

Quem não quer ter um estilo de vida saudável? Foi em busca deste ideal que em março de 2011 eu o Alcides fizemos uma mudança radical em nossas vidas. Eu tinha uma carreira na área de TI e Marketing, e havia trabalhado por 20 anos em grandes editoras. O Alcides tinha mais de 30 anos de experiência em fotografia submarina, publicação de revistas e atuação no turismo subaquático.

Mudamos para o catamarã Ocean Eyes em 2011 e desde então nunca mais moramos em terra firme. Quer saber por que? Vou te contar tudo agora 🙂

Minha paixão pelo mar

Sempre fui apaixonada pelo mar. Desde criança ia para praia com minha família e adorava ficar simplesmente olhando o mar. A paixão cresceu ainda mais em 1992,  quando fui para Fernando de Noronha, coloquei uma máscara e vi o que havia abaixo da superfície. Fiquei encantada com o colorido, com a vida marinha, com o outro planeta que tinha descoberto.

Alguns anos depois viajei para o Tahiti e novamente mergulhei com cilindro de ar. Em 95 minha mãe me falou de um curso de mergulho que estava tendo na USP e decidimos fazer juntas. Afinal, estava encantada com o fundo do mar e queria ir nos pontos mais bacanas, aqueles que somente os mergulhadores certificados vão.

No começo tive medo.  Mas o fascínio pela diversidade da vida marinha, pela paz, pelo silêncio, pela “calmaria” que existe no fundo do mar me fascinaram e motivaram a querer mergulhar mais e mais.

Minhas viagens de férias sempre foram para destinos de mergulho. Por isso tive a oportunidade de conhecer lugares magníficos, primeiro sozinha e depois com o Alcides, dentro e fora do Brasil. Mas estar somente  no mar nas férias não era suficiente. Eu queria morar perto dele, o máximo possível 🙂

 

Mas afinal, por que largar tudo e morar em um barco??

O que nos motivou a vender tudo em São Paulo e mudar de mala e cuia para o barco foi um cansaço físico mental.

Eu estava cansada daquela rotina do dia a dia, que fazia com que todos os dias parecessem iguais e que a vida estava escorrendo pelas minhas mãos. Queria levar uma vida saudável e feliz, que equilibrasse atividade física, contato com a natureza, alimentação saudável, convivência social, realização espiritual e pessoal. E em São Paulo é impossível você ter tudo ao mesmo tempo! Você pode fazer uma coisa ou outra, mas não tudo ao mesmo tempo.

Desde sempre o Alcides me falava em morar em um barco. Apesar de concordar, no fundo eu achava que era uma viagem, não me imaginava nesta vida. Porém, quando comecei a voltar para casa chorando, depois de um dia estressante no trabalho, vi que havia algo muito errado.

A falta de tempo para praticar exercício físico, o medo de doenças crônicas que chegam com a idade, a ideia do tempo estar passando muito rápido, me alertaram que era hora de priorizar minha saúde física e mental.

Logo pensei: “É melhor planejar e realizar o sonho, do que se arrepender depois de não ter tentado”. Por isso decidimos que era a hora de colocar o plano no papel e aproveitar nossa saúde para uma mudança radical na vida.

Equilíbrio: a palavra mágica para uma vida saudável

Acredito que para ter qualidade de vida é essencial ter equilíbrio. Não é apenas cuidar da alimentação, mas também do bem estar físico como um todo. Ter uma vida saudável é conseguir equilibrar o fisico, o mental, o espiritual, o social, o financeiro e o amoroso, tudo isso em harmonia com a natureza.

Mas acima de tudo, conhecer você mesmo é fundamental. Por isso tudo que pode ajudar neste processo é importante, e  saber o que eu Não queria mais me ajudou muito.

Em 2009 fizemos uma viagem de 20 dias embarcados para mergulhar na Austrália e nas Ilhas Salomão, no Oceano Pacífico, e uma semana nas Ilhas Virgens Britânicas, o paraíso da vela no Caribe. Esse foi o empurrão final. Parece que uma luz veio do céu, ou melhor, do mar. Percebi que é possível morar em um barco e ter uma vida de boa qualidade, ou melhor, de excelente qualidade!

 

Dois anos de planejamento

Planejamos a mudança durante quase dois anos. Colamos no espelho do quarto um pedaço de papel com os dizeres: “início da volta ao mundo em junho de 2011”. Pendurei fotos pelo apartamento, até na geladeira, com catamarãs ancorados em paisagens paradisíacas. Mal sabia eu que em menos de dois anos estaria com meu próprio barco em muitas delas!

E os preparativos começaram:  pesquisa do barco pela internet, cursos de arrais, mestre e capitão amador. O Alcides já era mestre desde 1980, mas eu não sabia nada. Intensifiquei as aulas de inglês, fiz curso de resgate e primeiros socorros, fiz todos os check-ups de saúde possíveis e imagináveis.

Pensando nas possibilidades que eu teria pela frente, fiz cursos também em áreas diversas: gastronomia, gestão ambiental e edição de vídeo. E não é que todos foram extremamente úteis na minha nova vida?

O primeiro passo é o mais difícil

Estava chegando a hora. A hora de pedir demissão de um emprego de 20 anos, de uma carreira que estava no auge, de uma série de mordomias que a vida urbana nos dá. Mas a decisão estava tomada, e foi com frio na barriga que demos os passos decisivos.

Vendemos apartamento e carros em tempo recorde. Além disso separei tudo que tinha no apartamento em 3 blocos: para doar, jogar no lixo ou  guardar. Pedi demissão e ainda consegui um acordo inacreditável na Abril Educação.  Contamos para a família e para nosso espanto, recemos o maior apoio. Tudo estava fluindo de vento em popa.

Nos despedimos da megalópole e partimos para realizar nosso sonho: viver em um barco. Encontramos nossa casa flutuante  nas Ilhas Virgens Britânicas, no Caribe. Ao pisarmos nossos pés descalços neste lindo Voyage de 43 pés, sentimos uma energia positiva e acolhedora que nos conquistou imediatamente.  Foi amor a primeira vista!

Por que Ocean Eyes?

Costumamos dizer que antes de velejadores, somos mergulhadores. Alcides mergulha desde 1976, e eu desde 1995. Por isso batizamos nosso catamarã de Ocean Eyes, Olhos do Oceano. Como mergulhadores, estamos de fato vendo o que está acontecendo em nossos oceanos.

Vemos sua beleza indescritível em cada mergulho, mas também vemos a diminuição da vida marinha ano após ano.

Nosso barco, nosso planeta

Um dos maiores aprendizados que ganhamos morando em um barco foi entender na prática como os recursos são limitados, tais como água, energia, espaço, descarte de lixo. E como nosso barco, o planeta também tem limitação de recursos, que estão diminuindo. Por isso, idealizamos o Projeto Oceano Vivo  e entrevistamos diversas pessoas pelas ilhas do Caribe sobre projetos em prol da natureza e do oceano.

A vida no barco nos ensinou a viver de uma forma mais otimizada, sem desperdícios, que pode ser facilmente levada para a vida em terra.  E a busca por uma vida saudável nos levou a ter uma  alimentação saudável, mas também sustentável. É possível comer bem, sem agredir a saúde e nem o meio ambiente. Mas esse equilíbrio é um grande desafio, e por isso convidamos você a fazer parte do Movimento Cook 4 Life.

 

Comida gostosa, saudável e sustentável

Sim, a comida pode ser gostosa, saudável e sustentável! Por isso a ideia do Movimento Cook 4 Life é compartilhar receitas saudáveis, gostosas e sustentáveis. Além das receitas divulgaremos informações sobre mitos e verdades na alimentação, entrevistas com especialistas, dicas práticas sobre vida saudável e vídeos interessantes. Tudo por uma vida mais saudavel!

Além do mais, você também poderá participar enviando sua receita, desde que ela seja preparada com ingredientes gostosos, saudáveis e sustentáveis. E nós vamos ajudá-lo a escolher estes ingredientes com nossas dicas, artigos, videos e testemunhos.

Faça parte do Movimento Cook 4 Life!!

Bom para você, bom para o planeta.

Você também pode gostar

8 Comentários

Fernando faro Maio 29, 2019 - 5:02 pm

Boa tarde
Seu depoimento foi muito motivante e tb estou atrás desse sonho , morar a bordo .
Bons ventos
ABS

Reply
Tatiana Zanardi Maio 30, 2019 - 2:48 pm

Boa tarde Fernando!

Obrigada pela mensagem e pelo apoio. Conquistar sonhos na vida é algo que não tem preço, e não podemos desistir nunca. Eu sempre digo que não existe o fracasso, o que existe é desistir do sonho. Por mais difícil e impossível que pareça, temos que persistir sempre, uma hora da certo!!
abraços
Tatiana e Alcides

Reply
Humberto Anzzelotti. Maio 30, 2019 - 9:20 pm

Tatiana desde sempre tive este objetivo com o Alcides e sempre sigo com os olhos brilhando de alegria por voces terem atingido. É inspirador. E por falar em inspirador esse comentario acima de Fernando Faro, acredito que tenha sido meu Diretor enquanto trabalhei na área de marketing da Sadia. “mundo redondo” bjo a vcs.

Reply
Tatiana Zanardi Maio 31, 2019 - 5:24 pm

Humberto,

Muito obrigada pelo carinho e apoio! Realmente você acompanhou este sonho do Alcides desde que ele literalmente desde o começo, e foi vendo ele tomar forma até virar realidade! E cá estamos nós, vivendo a bordo há 8 anos já!

Obrigada por estar sempre presente, mesmo que virtualmente conosco!

grande abraço

Tatiana e Alcides

Reply
gisela Maio 30, 2019 - 11:16 am

casal nota mil ! barco e comida nota mil já viajei com eles 3 vezes e indo em julho pela quarta vez ! vicia de tão bom que é !

Reply
Tatiana Zanardi Maio 30, 2019 - 2:47 pm

Muito obrigada pelo carinho Gi!!!

Uma amizade que nasceu no mar e segue velejando pelos mares do mundo!! Nao vejo a hora de explorar a Sardenha e Córsega com vocês, será demais, como sempre!!

Grande beijo

Reply
Lerry outubro 9, 2019 - 4:26 pm

Amei o projeto! Vocês falam bastante sobre alimentação saudável, como fazem para praticar exercícios e manter uma rotina ativa estando à bordo?

Reply
Tatiana Zanardi outubro 10, 2019 - 2:28 pm

Olá Lerry,

Muito obrigada por estar seguindo e gostando do nosso projeto 😉

Essa é uma ótima pergunta, pois realmente temos que ficar atentos a isso, pois apesar de estarmos em meio a natureza, o barco tem um espaço limitado e restrito.

Tentamos manter uma rotina de natação ou mergulho livre, pois é a atividade mais atraente uma vez que vivemos no Caribe, onde o mar é sempre cristalino, quente e com uma linda vida marinha. Pelo menos 1 hora 4 ou 5 vezes na semana. Fazemos também mergulho autônomo, com cilindro, menos frequente mas tambem muito bom pra saude.

Caminhamos muito, mas muito mesmo, pois fazemos tudo a pé, e quando possível gostamos de caminhar no final da tarde.

Antes de levantar fazemos alguns exercícios de alongamento na cama mesmo, antes de começar o dia.

E os músculos do corpo todo acabam trabalhando bastante na vida a bordo, seja levantando velas, caçando cabos, carregando peso, subindo e descendo os vários degraus do barco, fazendo contorcionismo nas faxinas a bordo 😉

Espero ter ajudado, e continue enviando suas perguntas! Se quiser que eu escreva um post sobre um assunto específico é só falar!

abraços

Tatiana e Alcides

Reply

Deixe um comentário