Espaguete com camarão: sucesso garantido

por Tatiana Zanardi
0 Comentário

Espaguete com camarão e manjericão

Quando penso em espaguete com camarão, lembro da minha infância. Digo isso pensando em meu avô paterno, o vô Ralves, que dizia feliz da vida dizia: hoje tem camarão!!! A… Imprima a receita
Serve: 6 Tempo total de preparo: Tempo de forno ou fogão:
Avaliação 4.5/5
( 4 Notas )

Ingredientes

  • 1 cx e meia de espaguete de boa qualidade
  • 1 kg de camarão grande limpo, com certificado de sustentabilidade
  • 6 tomates grandes maduros
  • 1 cebola media picada
  • 1 colher cha de manteiga
  • 3 colheres sopa azeite
  • 1 colher chá alho moído
  • Sal e pimenta do reino
  • 1 colher chá manjericão desidratado
  • 1 maço manjericão fresco

Modo de Preparo

Molho

Colocar azeite e manteiga em uma caçarola grande e derreter em fogo baixo.

Acrescentar cebola e refogar até a cebola ficar bem mole, quase transparente.

Colocar o tomate, o manjericão desidratado, experimentar o sabor e colocar sal a gosto. Cozinhar em fogo baixo até o tomate virar molho, acrescentar água fervente se secar muito.

Camarão

Salpicar sal e pimenta do reino 10 min antes de refogar (se deixar muito tempo com sal ele vai soltar agua).

Aquecer uma colher de sopa de azeite extra virgem na frigideira por um min. Acrescentar o alho, refogar e jogar os camarões. Tampar para abafar. Virar os camarões. Cozinhar por 3 min ou até ficarem rosados e cozidos. Experimentar. Se estiver no ponto desejado, jogar no molho pronto, mexer, e desligar o fogo.

Cozinhar a massa (espaguete, linguine ou outro semelhante de sua preferência) de acordo com as instruções do pacote.

Jogar o molho sobre a massa pronta e escorrida, deixando alguns camarões em destaque por cima. Regar com um fio de azeite. Jogar as folhas de manjericão fresco sobre a massa e servir 😉

Quando penso em espaguete com camarão, lembro da minha infância. Digo isso pensando em meu avô paterno, o vô Ralves, que dizia feliz da vida dizia: hoje tem camarão!!! A que ficava mais feliz era eu, que sempre adorei camarão! Logo a vovó Letícia limpava aquela quantidade imensa de camarões para fazer na moranga com catupiry… bons tempos!

Provavelmente naquela época, uns 40 anos atrás (nossa, tudo isso já?), tudo era mais equilibrado. Talvez porque haviam menos pessoas no planeta consumindo camarões, que por sua vez eram mais abundantes em locais ainda preservados.

Quatro décadas depois, tudo mudou, e muito! Devido a  demanda pelo camarão ter aumentado, as formas de capturá-lo, ou criá-lo, trouxeram junto uma série de questões ambientais e de saúde.

Os problemas da pesca de camarão

Quando falamos de pesca de camarão, 90% das vezes estamos falando de pesca de arrasto. Esta é a pior forma de pesca, que vem “arando” o solo marinho e trazendo em sua rede tudo que encontra pelo caminho. Consequentemente uma infinidade de espécies sem valor comercial (mas com alto valor ambiental!) são mortas e jogadas no lixo.

Segundo o Guia de Consumo Responsável de Pescado da WWF, “ Na pesca de arrasto de fundo para camarão, por exemplo, a cada 100 quilos capturados, cerca de 10 quilos costumam ser da espécie alvo (camarão), e até 90 quilos são outros animais capturados de forma incidental.”

Espaguete com camarão - problemas da pesca de arrasto

Como é feita a pesca de arrasto de fundo – Imagem retirada do Guia de Consumo Responsável da WWF

Além disso, dependendo do local onde a pesca de arrasto é feita, corre-se o risco de se ingerir poluentes depositados no fundo e que fizeram parte da dieta do camarão.

E por último, e o mais básico de todos, o respeito ao defeso do camarão. Ou seja, durante a época de sua procriação não se deve capturá-lo de forma alguma!

Mas a criação de camarão também tem problemas…

Quando falamos de criação de camarão, ou carnicicultura, um outro capítulo a parte de problemas se inicia. Posso citar: destruição de manguezais para as fazendas; uso de farinha de peixe para alimentação dos camarões; antibióticos e outros produtos adicionais na água; despejo no mar de resíduos não tratados, e por aí vai.

Ecossistemas vulneráveis como os manguezais, verdadeiros berçários de diversas espécies, vêm sendo ameaçados pelo avanço de algumas fazendas de produção. As expansões de determinados criadouros de camarão, por exemplo, tem invadido essas áreas e suprimido habitats, o que pode causar danos na cadeia alimentar, diminuindo áreas de berçário e alimentação, além de aumentar a vulnerabilidade da costa para as mudanças climáticas em eventos como o aumento do nível do mar e erosão do solo.” Texto foto do Guia de Consumo da WWF.

Espaguete com camarão - Criação em tanque escavado

Como é feita a criação em tanque escavado – Imagem retirada do Guia de Consumo Responsável da WWF

Saiba agora nossas dicas para comprar um camarão sustentável

E como apesar de tudo isso eu passo aqui uma receita de espaguete com camarão?? Ah, eu separei algumas dicas para você comprar camarão saudável e sustentável.

1. Veja na embalagem se o camarão é certificado

Se você quiser comer camarão de vez em quando, como eu, preste atenção na embalagem e veja se ela tem estampada um selo de certificação.

Salmão ao molho de maracujá - selo de certificação da BAP

Pode ser da ASC (Aquaculture Stewardship Council) ou da BAP (Best Aquaculture Practices). Isso significa que a criação do camarão em fazendas é feita seguindo uma série de normas e padrões mundiais que garantem sua sustentabilidade e qualidade.

Lembrando que quando o camarão tem um selo de certificação, significa que os seguintes critérios foram seguidos na sua criação em cativeiro.

Espaguete com camarão selo ASCOs sete princípios de aquicultura responsável da ASC são:

  1. Conformidade legal abrangente
  2. Conservação do habitat natural e biodiversidade
  3. Conservação dos recursos hídricos
  4. Conservação da diversidade de espécies e população selvagem
  5. Uso de alimentação e outros insumos de origem responsável
  6. Saúde animal (por exemplo, sem uso desnecessário de antibióticos e produtos químicos)
  7. Responsabilidade social para trabalhadores e comunidades impactadas

2. Fale com o #chatbot do Guia de Pescados

Antes de comprar o camarão na peixaria, do pescador ou mesmo em um restaurante, pergunte primeiro o tipo de camarão. Sabendo a espécie você poderá seguir a recomendação do #chatbot do Guia de Pescados.

Eu já fiz uma pesquisa para você no #chatbot do Guia de Pescados, e veja o que ele me respondeu:

  • Camarão-branco faz parte da Lista Verde. Recomendação: Bom Apetite!
  • Camarão-sete-barbas faz parte da Lista Amarela. Recomendação: Coma com moderação.
  • Camarão-rosa é uma espécie ameaçada de extinção.Por favor, evite! 

3. Consulte o Guia de Consumo Responsável de Pescado da WWF Brasil

Eu sugiro baixar o PDF no seu celular e ter ele na mão na hora de fazer suas compras de pescados e frutos do mar. Mas eu já facilitei para você e segue abaixo o resultado na pesquisa:

Espaguete com camarão - segundo guia da WWF

Vendo o resultado das pesquisas, somente o camarão branco indicado pelo #chatbot do Guia de Pescados é a única opção brasileira com sinal verde e recomendação “bom apetite!”

Espaguete com camarão: mãos a obra!!!

O modo de preparo é muito rápido e simples, você vai ver neste vídeo que gravei com muito carinho!

Algumas dicas: se o molho de tomate for somente com tomates frescos ficará mais saudável e gostoso. Mexa bem em fogo médio ou baixo, e adicione os camarões no final, para ele não desidratarem.

Você também pode gostar

Deixe um comentário