Bacalhau com batatas palha: mais fácil impossível!

por Tatiana Zanardi
0 Comentário

Bacalhau com batatas palha

Bacalhau com batatas palha

Bacalhau com batatas palha: mais fácil impossível! Acredito que um dos grandes desafios atualmente é colocar todas as informações que somos bombardeados constantemente em prática. Temos que cozinhar, fazer comida… Receitas Bacalhau com batatas palha: mais fácil impossível! European Imprima a receita
Serve: 2 Tempo total de preparo: Tempo de forno ou fogão:
Informações nutricionais 200 Calorias 20 grams Gordura
Avaliação 5.0/5
( 1 Notas )

Ingredientes

  • 250 gramas de bacalhau de origem sustentável (veja dicas abaixo) ou de abrótea, o bacalhau brasileiro
  • 1/2 cebola pequena
  • 3 colheres de sopa de azeite bem cheias
  • 200 gramas de batata palha

Modo de Preparo

Dessalgue o bacalhau deixando-o de molho em uma travessa com água fechada na geladeira por 24 horas. Troque a água 3 vezes.

Corte o bacalhau em pedaços pequenos, aproveitando para tirar qualquer espinha.

Pique a cebola, aqueça o azeite e acrescente a cebola. Deixe até ficar translúcida e acrescente o bacalhau.

Mexa bem e deixe cozinhando com a panela destampada, em fogo médio, até a água evaporar.

Acrescente a batata palha, desligue e sirva imediatamente, para a batata permanecer crocante.

Se quiser, pode acrescentar também salsinha e azeitonas picadas.

Bacalhau com batatas palha: mais fácil impossível!

Acredito que um dos grandes desafios atualmente é colocar todas as informações que somos bombardeados constantemente em prática. Temos que cozinhar, fazer comida de verdade, fazer ginástica, trabalhar com prazer, cuidar das relações, do planeta,  do plano espiritual, social, e ainda ter tempo para relaxar e não pensar em nada, se possível meditando.  Simples mas complicado, não é?

Por isso gosto de receitas simples e gostosas, práticas e fáceis de preparar. Que a gente olhe a lista dos ingredientes e não pense “nossa, quanta coisa, não tenho tempo e nem tudo isso em casa… vou pedir uma pizza e outro dia farei esta receita com certeza!”

Há várias receitas de bacalhau com batata palha, mas esta é simples, praticamente leva um pouco mais de 15 minutos para fazer o bacalhau. Coloque o bacalhau dessalgado em pedaços (pode ser bacalhau desfiado também) em uma panela com cebola refogada em azeita extra virgem de oliva e leve ao fogo médio. Deixe cozinhar o bacalhau até quase toda água evaporar.  Leve ao forno se preferir, mas no barco eu uso mais o fogão por ser mais rápido e economizar gás.

Bacalhau com batatas é uma ótima opção, mas fique de olho no peixe que você está comprando!

Dicas para escolher um bacalhau sustentável

Quando estou na dúvida sobre a sustentabilidade de um peixe, verifico se ele tem um selo de certificação (MSC no caso de peixes capturados no mar), ou então envio uma mensagem para o chat bot do Guia de Pescados. Quando pesquisei sobre “bacalhau”, o Guia de Pescados me respondeu:

“Bacalhau é o nome dado a algumas espécies de peixe que são comumente comercializados após um processo de salga e secura. Mas, você também pode encontrá-lo fresco ou congelado. Segundo a legislação brasileira, somente podem ser vendidos como bacalhau, as espécies gadus morhua (Bacalhau-do-Porto), gadus macrocephalus (Bacalhau-do-Pacífico) e gadus ogac (Bacalhau-da-Groenlândia). Nenhuma delas é pescada na costa brasileira. Existem diferentes populações de bacalhau, em distintos estados de conservação. Procure informações sobre a certificação MSC do produto que pretende consumir.”

Então aí vai a primeira dica para o bacalhau com batatas: veja se ele tem o selo da MSC (Marine Stewardship Council), o que significa que ele foi pescado seguindo regras de sustentabilidade que respeitam a quantidade e tamanho do peixe, evitando sobrepesca e diminuição do estoque alem do permitido.

A espécie mais ameaçada atualmente é a do Atlântico Norte, na região entre Noruega e Rússia (mar de Barents),  justamente o gadus morhua que é o mais valorizado. Segundo estudo feito pela WWF da Noruega, nos últimos 30 anos 70% da população mundial desta espécie desapareceu. Então, não compre bacalhau da Noruega a menos que tenha o selo da MSC.

O bacalhau do Alasca é uma ótima alternativa, pois existem controles rígidos impostos pelo governo de lá. É da espécie gadus macrocephalus, que vive a 500 m de profundidade no Alaska e tem em abundância. Também é conhecido por “Cod”, e mesmo se não tiver passado pelo processo de salga é um peixe de textura firme e sabor suave muito gostoso. Então mais uma dica: veja se a embalagem tem o selo do Seafood Alaska. 

E por último experimente o bacalhau brasileiro, a abrótea! 

Escolha o bacalhau com batatas brasileiro

Você já tinha ouvido falar deste peixe,  abrótea? Eu mesma não conhecia. É um dos peixes que faz parte da lista dos PENACOS (peixes não convencionais) que começaram a entrar nas gôndolas de mercados e peixarias. Estes peixes normalmente fazem parte do “by-catch”, isto é, eles vem por “acidente” nas redes de pesca. Por exemplo: o barco de pesca sai para passar a rede em busca de tainha e captura abróteas e outros peixes junto. 

A princípio a ideia parece bacana, pois estes peixes eram jogados no lixo por não terem valor comercial. Além do mais, o consumo de espécies alternativas diminui a pressão de consumo das tradicionais. Por outro lado, fico com a consciência pesada em apoiar a pesca de arrasto, que destrói indistintamente o fundo do mar. 

Por isso a bióloga Cintia Miyaji, da Paiche Consultoria, na Baixada Santista, salienta que “ é fundamental que haja boas práticas e que a pesca seja sustentável”. Ela nos contou que existem várias tecnologias sendo desenvolvidas e colocadas em prática no Brasil para uma pesca mais assertiva, que capture somente a espécie desejada. 

Conversei também com o Rodrigo, representante da MSC (Marine Stewardship Council) para a América Latina, e ele salientou que “se uma espécie passa a ser consumida, ela deverá ser também objeto de estudo e pesquisa para garantir que seus estoques não diminuam. Isto significa que padrões deverão ser seguidos também para esta espécie para que não se pesque mais do que a capacidade de reprodução e sobrevivência”.

Concordo plenamente com a Cintia, que salientou “ que é sempre importante pensarmos no equilíbrio”. 

Saiba mais sobre a abrótea

(Urophycis brasiliensis)

Atinge, em média, de 50 centímetros e 3 quilos e é encontrada no sul e no sudeste do brasil, Argentina e Uruguai. Tem uma carne branca e saborosa com pouca gordura. É um bom substituto do bacalhau para pratos onde ele é desfiado ou cortado em pedaços, como nesta receita de bacalhau com batatas palha, ou bolinho de bacalhau. 

Você também pode gostar

Deixe um comentário